Relatório 7: Desempenho do produto

O relatório de Desempenho do Produto calcula as medidas de desempenho envolvidas quando os elementos de nível inferior são combinados em uma unidade de nível superior.

Componente
Coluna opcional para fornecer nomes para os componentes. Se você não especificar os nomes, o Minitab atribui os números de IDs.
Defs obs
Número de defeitos observados.
Unidades obs
Número de unidades de cada componente observado.
Oport por unidade

Número de oportunidades (por defeito) por unidade.

Para obter mais informações, vá para O que são oportunidades por unidade?.

Cmplx

Contagem de complexidade para cada componente. É possível ajustar as unidades observadas e defeitos observados usando as proporções de cada componente. Por exemplo, compor um conjunto maior, é necessário 1 unidade do componente 1, 6 unidades do componente 2, 5 unidades do componente 3, e assim por diante.

A coluna complexidade não é necessária, mas utilizar valores de complexidade reduz os efeitos da amostragem desproporcional. Se não existirem proporções, insira uma coluna de todos os 1s.

Para obter mais informações, vá para O que é complexidade?.

Defs ajust
Os defeitos observados são ajustados (ou ponderados) com base nas informações de complexidade. Quando nenhuma unidade de complexidade é dada, os defeitos ajustados são os mesmos que os defeitos observados.
Unidades Ajust
As unidades observadas são ajustadas (ou ponderadas) com base nas informações de complexidade. Quando nenhuma unidade de complexidade é dada, as unidades ajustadas são os mesmas que as unidades observadas. Todos os componentes que têm a mesma complexidade tem as mesmas unidades ajustadas. No exemplo, os componentes 7 e 12 têm a complexidade e 3 e unidades ajustadas de 234.  
Oport Totais Ajust
Esta coluna é calculada multiplicando-se as Unidades Ajust e Oport por unidade. Se as contagens de unidade não foram ajustados, as oportunidades totais seriam assimétricas em favor dos componentes com maior número de unidades observadas, o que poderia afetar os cálculos das estatísticas de desempenho. Novamente, a utilização dos valores de complexidade reduz os efeitos da amostragem desproporcional.
DPU
Defeitos por unidade, calculados dividindo-se número de defeitos pelo número de unidades.
DPMO

Defeitos por milhão de oportunidades, calculado dividindo-se Unidades Ajust por Oport Tot Ajust e, em seguida, multiplicando-se por 1 milhão.

Se as contagens de unidade não foram ajustados, as oportunidades totais seriam assimétricas em favor dos componentes com maior número de unidades observadas.

Z.Shift

Valores para representar o desvio de sigma de longo prazo pressuposto. Se não houver um especificado, o Minitab usa os valores padrão de 1,5.

Para obter mais informações, vá para Z bench como uma estimativa de capacidade sigma.

Z.ST
Escores Z calculados a partir do DPMO e Z.Shift.
YTP

Rendimento de produção para cada componente. Esta é a probabilidade de que nenhuma das oportunidades do componente resulte em um defeito.

Para obter mais informações, vá para Quais são os rendimentos de produção (YTP) e os rendimentos acumulados (YRT)?.

YRT

Rendimento acumulado para cada componente. A probabilidade de ter uma unidade boa do componente 2 é o YTP, 0,996698. Para compor um conjunto maior, você precisa de 6 unidades do componente 2. A probabilidade de ter 6 unidades boas do componente 2 é o YRT, (0,996698) 6 = 0,980350.

Para obter mais informações, vá para Quais são os rendimentos de produção (YTP) e os rendimentos acumulados (YRT)?.

Relatório 8A: Referências de produto (DPMO versus Z.Bench)

O relatório Referências de produto (DPMO versus Z.Bench) mostra uma visão gráfica das estatísticas de referência para a coleção de componentes que estão no relatório do produto.

DPMO é uma medida de desempenho a longo prazo. ST de Z.Bench é uma medida de desempenho de curto prazo.

Os locais dos agrupamentos de pontos representam onde as capacidades de seus processos tendem a se concentrar. No exemplo acima, há um conjunto um pouco inferior a 4 na escala Z.ST, e outro próximo a 4,5. Assim, muitos dos processos usados aqui são executados a partir de um pouco menos de 4 até um pouco mais de 4 sigma. Isto é bem típico.

Relatório 8B: Referências de Produto (Z.Shift versus Z.Bench)

O relatório Referências de produto (Z.Shift versus Z.Bench) mostra outra visão das estatísticas de referência para a coleção de componentes que estão no relatório do produto.

Este gráfico compara a controlabilidade de cada componente (Z.Shift) e a capacidade de cada componente (Z.ST). Normalmente, os valores de Z.Shift caem dentro da faixa horizontal (Zona de Controle Típica) e os valores Z.ST caem dentro da faixa vertical (Zona de Tecnologia Média).

O desempenho do Six Sigma é obtido em níveis elevados de Z.Bench e baixos níveis de Z.Shift.

Z.Shift

  • Valores baixos de Z.Shift correspondem a características que são muito bem controladas.
  • Valores altos de Z.Shift correspondem a características que são mal controladas.

Z.Bench ST

  • Valores elevados de Z.Bench correspondem a características que representam superioridade tecnológica.
  • Valores baixos de Z.Bench correspondem a características que representam inferioridade tecnológica.

No exemplo acima, todos os componentes tinham um Z.shift de 1,5 sigma, que é o padrão quando os valores reais de Z.Shift são desconhecidos. Aproximadamente metade dos componentes têm valores de Z.Bench na Zona de Tecnologia Média. A outra metade dos componentes têm valores para a direita, o que indica uma capacidade melhor do que a média.

Relatório 8C: Referências de produto (Capacidade, Complexidade, Controle)

Sem informações de complexidade

Quando você não inclui informações de complexidade, o relatório de Referências do Produto inclui os gráficos a seguir:
  • YTP: um diagrama de Pareto inverso dos rendimentos do produto (YTP)
  • Oports por Unidade: oportunidades por unidade para os componentes, ordenados pelos valores de YTP
  • Z.ST: valores de Z.ST para os componentes, ordenados por valores de YTP
  • Z.Shift: valores de Z.Shift para os componentes, ordenados por valores de YTP

No gráfico YTP, identifique os compostos que têm a pior qualidade, em seguida olhe para as cartas inferiores a fim de determinar se o problema é um resultado de alta complexidade (contagem de oportunidades), baixa capacidade (Z.ST) ou controle deficiente (Z.Shift) .

No exemplo acima, o componente 18 tem a pior qualidade, contagem de oportunidades moderada, e capacidade abaixo da média. A melhoria da capacidade exercerá o maior impacto na melhoria da qualidade.

Com informações de complexidade

Quando você inclui informações de complexidade, o relatório de Referências do Produto inclui os gráficos a seguir:
  • YRT: um diagrama de Pareto inverso dos rendimentos acumulados (YRT)
  • Oports por Unidade Total: oportunidades por unidade para os componentes, ordenados pelos valores de YRT
  • Z.ST: valores de Z.ST para os componentes, ordenados por valores de YRT
  • Z.Shift: valores de Z.Shift para os componentes, ordenados por valores de YRT

Lembre-se, o YRT global representa a probabilidade de que uma única unidade de toda a coleção de componentes pode ser produzida sem nenhum defeito. Os componentes que têm valores de YRT com os menores níveis de componente contribuem mais para o YRT global. Assim, a melhoria desses componentes é essencial para melhorar o YRT global.

No exemplo acima, o componente 17 tem o menor YRT, uma baixa contagem de oportunidades e baixa capacidade. Elevar o Z.ST médio para o componente 17 exercerá o maior efeito sobre a melhoria da sua qualidade e, assim, melhorará a qualidade global do produto.

O componente 11 (o terceiro pior componente) tem uma alta contagem de oportunidade e boa capacidade. A redução da contagem de oportunidade exercerá o maior efeito sobre a melhoria da qualidade do componente 11, porque a capacidade já é muito boa.

Ao usar esse site, você concorda com a utilização de cookies para análises e conteúdo personalizado.  Leia nossa política