Interpretar os principais resultados para Estudo de medição tipo 1

Conclua as etapas a seguir para interpretar um estudo de medição tipo 1. A saída principal inclui um gráfico de ensaios das medições, estatísticas de vício, e as estatísticas de capacidade.

Passo 1: Avaliar a variação nas medições comparadas com o intervalo de tolerância

Use um gráfico de ensaios para procurar evidências de vício ou outra variação do sistema de medição em seu processo.

Você pode ter medições que estejam próximas à linha de referência, medições que variam ao longo de todo o intervalo de tolerância, ou medições que excedem o intervalo de tolerância em ± 10%. Se qualquer algum dos pontos exceder aos limites, você deve questionar a capacidade do sistema.

Resultados principais: gráfico de ensaio

Nestes resultados, a maior parte das medições de espessura ficam dentro do intervalo de tolerância de ± 10%. No entanto, algumas das medições são mais baixas do que o esperado (menores do que o intervalo de tolerância −10%), o que pode indicar um problema com o sistema de medição.

Passo 2: Avaliar o vício no sistema de medição

A vício da medição indica a diferença entre a média de n medições e o valor de referência. Use o valor de p para determinar se o seu sistema de medição tem vício significativo. A hipótese nula é que o vício = 0 versus a hipótese alternativa que o vício ≠ 0.

Para determinar se o sistema de medição tem vício significativo, compare o valor de p para o nível de significância (denotado como α ou alfa). Geralmente, um nível de significância de 0,05 funciona bem. Um nível de significância de 0,05 indica um risco de 5% de concluir que um sistema tem vício quando na verdade não tem.

Valor de p ≤ α: o sistema de medição tem vício (rejeitar H0)
Se o valor de p for menor ou igual ao nível de significância, rejeite a hipótese nula. Você pode concluir que seu sistema de medição tem vício estatisticamente significativo. Investigue o seu sistema de medição para determinar a causa desse vício e melhorar o seu sistema de medição.
Valor de p > α: não é possível concluir que o sistema de medição não tem vício (falha em rejeitar H0)
Se o valor de p for maior do que o nível de significância, você deixa de rejeitar a hipótese nula. Você não tem provas suficientes para concluir que o vício do sistema de medição é estatisticamente significativo. No entanto, também não é possível concluir que o sistema de medição não tem vício.
Principais resultados: vício, T, valor de P

Nestes resultados, como o valor de p de 0,021 é inferior ao nível de significância de 0,05, não há elementos suficientes para concluir que o existe vício. A quantidade de vício é estatisticamente significativa, embora pareça pequena (-,000015).

Passo 3: Avaliar a capacidade do sistema de medição

Use os índices de capacidade para determinar se o seu sistema de medição é capaz de medir peças de forma consistente e precisa.

Cg compara a tolerância com variação de medição. CgK compara a tolerância com variação de medição e de vício.

Principais resultados: Cg, CgK

Nesses resultados, Cg é 0,53 e CgK é 0.42. Ambos os índices de capacidade são menores do que o valor de referência comumente usado de 1,33. Estes resultados indicam que o sistema de medição não pode medir as peças de forma consistente e com precisão. Você deve melhorar o sistema de medição para torná-lo mais confiável.

Ao usar esse site, você concorda com a utilização de cookies para análises e conteúdo personalizado.  Leia nossa política