Selecione testes para causas especiais para Carta G

Estat > Cartas de Controle > Cartas de Eventos Raros > G > Opções do Gráfico G > Testes

O Minitab fornece cinco testes para causas especiais. A carta G inclui o teste de Benneyan para detectar altas taxas de um evento raro. Os especialistas recomendam que você use o Teste 1 e o Teste 2 ao criar uma carta G porque a carta G pode ser lenta em detectar reduções pequenas a moderadas no número médio de dias ou no número de oportunidades entre eventos. Selecione testes adicionais com base em padrões da empresa ou da indústria. Use os testes para determinar quais observações investigar, e para identificar os padrões e tendências específicos em seus dados.

Para as cartas de controle tradicionais para dados de atributo, o Teste 1 está baseado na distribuição normal. Contudo, para cartas G, o Teste 1 está baseado na distribuição geométrica. Um ponto em uma carta G falha no Teste 1 quanto ele está fora dos percentis da distribuição geométrica que corresponde a 3 desvios padrão da linha central em uma distribuição normal. Para obter mais informações, acesse Métodos e fórmulas para carta G e clique em "Testes para causas especiais, incluindo teste de Benneyan".

Na lista suspensa, especifique se deseja realizar algum, todos ou nenhum teste para causas especiais. É possível tornar cada teste mais ou menos sensível alterando o valor de K.

Dica

Para mudar as configurações padrão para futuras sessões do Minitab, selecione Ferramentas > Opções > Cartas de Controle e Ferramentas da Qualidade > Testes.

1 ponto > desvios padrão K da linha central
, o Test 1 identifica subgrupos que são atípicos se comparados a outros subgrupos. O teste 1 é reconhecido universalmente como necessário para a detecção de situações fora de controle. Se pequenas mudanças no processo forem de interesse, você pode usar o Teste 2 para suplementar o Teste 1, a fim de criar uma carta de controle que tenha maior sensibilidade.
Teste Benneyan, pontos sucessivos iguais a 0
Para detectar altas taxas de um evento, o Minitab realiza o teste de Benneyan. O limite de controle inferior para uma carta G é 0 na maioria dos casos. Além disso, o valor dos dados mínimo é 0, o que significa que você não pode detectar quando a taxa de eventos raros está incomumente alta pela observação de quais pontos estão abaixo do limite de controle inferior.
O teste de Benneyan conta o número de pontos plotados consecutivos que são iguais a 0. Quando um ponto em uma carta G falha no teste de Benneyan, o ponto é marcado comB. O número de pontos que são necessários para sinalizar o teste de Benneyan é uma função da taxa desejada de alarmes falsos e da probabilidade do evento. A taxa de alarme falsa está baseada na probabilidade que está associada com o argumento do teste 1, que é 3 por padrão.
K pontos consecutivos do mesmo lado da linha central
O Teste 2 identifica mudanças na proporção dos defeituosos do processo. Se pequenas mudanças no processo forem de interesse, você pode usar o Teste 2 para suplementar o Teste 1, a fim de criar uma carta de controle que tenha maior sensibilidade.
K pontos consecutivos, todos crescentes ou todos decrescentes
O Teste 3 detecta tendências. Este teste procura uma longa série de pontos consecutivos que aumentam consistentemente em valor ou que diminuem em valor.
K pontos consecutivos, alternando para cima e para baixo
O Teste 4 detecta a variação sistemática. Você deseja que o padrão de variação em um processo seja aleatório, mas um ponto que falha no Teste 4 pode indicar que o padrão de variação é previsível.
Ao usar esse site, você concorda com a utilização de cookies para análises e conteúdo personalizado.  Leia nossa política