Interpretar os principais resultados para Tabulação cruzada e qui-quadrado

Conclua as etapas a seguir para interpretar uma análise de tabulação cruzada. A saída principal inclui contagens e contagens esperadas, estatísticas qui-quadrado e valores-p.

Etapa 1: Determinar se a associação entre as variáveis é estatisticamente significativa

Use o valor-p para determinar se deve ou não rejeitar a hipótese nula, o que indica que as variáveis são independentes.

Para determinar se as variáveis são independentes, compare o valor-p com o nível de significância. Geralmente, um nível de significância (denotado como α ou alfa) de 0,05 funciona bem. Um nível de significância de 0,05 indica um risco de 5% de concluir que existe uma associação entre as variáveis quando não existe uma associação real.
Valor-p ≤ α: as variáveis apresentam uma associação estatisticamente significativa (rejeite H0)
Se o valor-p for menor ou igual ao nível de significância, rejeite a hipótese nula e conclua que há uma associação estatisticamente significativa entre as variáveis.
Valor-p > α: não é possível concluir que as variáveis estão associadas (não deve rejeitar H0)
Se o valor-p for maior do que o nível de significância, você não deve rejeitar a hipótese nula porque não há evidências suficientes para concluir que as variáveis estão associadas.
Teste qui-quadrado Qui-Quadrado GL Valor-p Pearson 11,788 4 0,019 Razão de verossimilhança 11,816 4 0,019
Saída principal: valor-p

Nestes resultados, o valor-p é 0,019. Como o valor-p é menor que α, você deve rejeitar a hipótese nula. É possível concluir que as variáveis estão associadas.

Etapa 2: examine as diferenças entre as contagens esperadas e as contagens observadas para determinar quais níveis de variáveis podem apresentar o maior impacto na associação

A contagem observada é o número real de observações em uma amostra de que pertencem a uma categoria.

A contagem esperada é a frequência com que se esperaria em uma célula, em média, se as variáveis fossem independentes. O Minitab calcula as contagens esperadas como o produto dos totais de linhas e colunas dividido pelo número total de observações.

Ao olhar para as diferenças entre as contagens de células observadas e as contagens de células esperadas, é possível ver quais variáveis apresentam as maiores diferenças, o que pode indicar dependência. Também é possível comparar os resíduos padronizados para saber quais variáveis apresentam maior diferença entre as contagens esperadas e as contagens reais em relação ao tamanho amostral.

Linhas: ID da Máquina Colunas: Colunas da worksheet 1º turno 2º turno 3º turno Todos 1 48 47 48 143 56,08 46,97 39,96 -1,0788 0,0050 1,2726 2 76 47 32 155 60,78 50,91 43,31 1,9516 -0,5476 -1,7184 3 36 40 34 110 43,14 36,13 30,74 -1,0867 0,6443 0,5889 Todos 160 134 114 408 Conteúdo da Célula Contagem Contagem esperada Resíduos padronizados
Resultados principais: contagens, contagens esperadas, resíduo padronizado

Nesta tabela de tabulação cruzada, a contagem de células é o primeiro número em cada célula, a contagem esperada é o segundo número em cada célula e o resíduo padronizado é o terceiro número em cada célula. Nestes resultados, a contagem esperada e a contagem observada são as maiores para o 1º turno com a Máquina 2, e o resíduo padronizado também é o maior.

Ao usar esse site, você concorda com a utilização de cookies para análises e conteúdo personalizado.  Leia nossa política