Insira seus dados para Poder e tamanho de amostra para teste de equivalência para experimento cruzado 2x2

Estat > Poder e Tamanho de Amostra > Testes de Equivalência > Experimento Cruzado 2x2

  1. Em Hipótese sobre, indicar como você quer expressar os critérios de equivalência.
    • Média de teste - média de referência (Diferença)

      Define equivalência em termos de uma diferença entre a média da população de teste e a média da população de referência.

    • Média de teste / média de referência (Razão, por transformação de log)

      Define equivalência em termos da razão da média da população de teste para média da população de referência, como modelado com uma transformação logarítmica dos dados originais. Para esta opção, todas as observações devem ser maiores que 0.

  2. Em O que você deseja determinar? (Hipótese alternativa), selecione a hipótese alternativa de que você está tentando provar ou demonstrar.
    • Se sua hipótese é sobre Média de teste - média de referência (Diferença), selecione uma das opções a seguir.
      • Limite inferior < média de teste - média de referência < limite superior

        Teste se a diferença entre as médias populacionais está dentro dos limites que você especificou.

        Por exemplo, um analista quer determinar se o pH gástrico médio induzido por um novo antiácido está dentro de 10% do pH gástrico médio induzido por um antiácido de marca.

      • Média de teste > média de referência

        Testa se a média da população de teste é maior do que a média da população de referência.

        Por exemplo, um analista deseja determinar se uma formulação melhorada de um suplemento nutricional resulta em níveis sanguíneos mais elevados de um mineral essencial do que a atual formulação.

      • Média de teste < média de referência

        Teste se a média da população de teste é menor do que a média da população de referência.

        Por exemplo, um analista deseja demonstrar que um novo medicamento resulta em uma pressão arterial diastólica média que é menor do que a do medicamento atual.

      • Média de teste - média de referência > limite inferior

        Teste se a diferença entre as médias da população são maiores do que um limite inferior.

        Por exemplo, um pesquisador quer determinar se a redução média na pressão sanguínea diastólica induzida por um medicamento experimental é superior a 3 mm Hg maior do que a redução média induzida pelo medicamento atual.

      • Média de teste - média de referência < limite superior

        Teste se a diferença entre as médias da população são inferiores a um limite superior.

        Por exemplo, os pesquisadores desenvolveram uma nova formulação de um medicamento popular. A nova formulação é menos cara, mas exige mais tempo para alcançar o efeito máximo. Os pesquisadores querer garantir que a diferença média de tempo para o efeito máximo não exceda ao da medicação atual em mais de 2 minutos.

    • Se sua hipótese é sobre Média de teste / média de referência (Razão, por transformação de log), selecione uma das opções a seguir.
      • Limite inferior < média de teste / média de referência < limite superior

        Teste se a razão da média da população está dentro dos limites especificados. Ambos os limites devem ser maior que zero. Uma razão de 1 indica que as duas médias são iguais.

        Por exemplo, um analista deve demonstrar que a biodisponibilidade média de uma formulação de teste está dentro de 80% (0,8) e 125% (1,25) da formulação de referência, utilizando os dados com transformação logarítmica.

      • Média de teste / média de referência > limite inferior

        Teste se a razão das médias da população é maior do que um limite inferior.

        Por exemplo, um analista deve demonstrar que a biodisponibilidade média de uma formulação de teste é maior do que 80% (0,8) do que a formulação de referência, utilizando os dados com transformação logarítmica.

      • Média de teste / média de referência < limite superior

        Teste se a razão das médias da população é menor que um limite superior.

        Por exemplo, um analista precisa demonstrar que a biodisponibilidade média de uma formulação de teste é menor que 125% (1,25) da formulação de referência, utilizando dados com transformação logarítmica.

  3. Insira um valor para cada limite de equivalência incluído na hipótese alternativa.
    • Limite inferior

      Insira o valor mínimo aceitável para a diferença ou razão. Você deseja demonstrar que a diferença (ou razão) entre a média da população de teste e a média da população de referência não é inferior a este valor.

    • Limite superior

      Insira o maior valor aceitável para a diferença ou razão. Você deseja demonstrar que a diferença (ou razão) entre a média da população de teste e a média da população de referência não excede esse valor.

  4. Especifique valores para duas das variáveis de função poder a seguir. Deixe a variável que você deseja calcular em branco.
    Dica

    Se você inserir vários valores em um campo, separe os valores com um espaço. Você também pode utilizar a notação abreviada para indicar vários valores. Por exemplo, você pode digitar 10:40/5 para indicar tamanhos amostrais de 10 a 40 em incrementos de 5.

    • Tamanhos amostrais: Insira o número de observações para cada sequência do estudo. Por exemplo, insira 15, se você planeja usar 15 participantes em cada sequência do estudo. Para avaliar o efeito de diferentes tamanhos amostrais, insira vários valores. Amostras maiores dão o teste mais poder para demonstrar a equivalência.

    • Diferenças (ou razões): Insira um ou mais valores para especificar a diferença (ou razão) entre o teste de média e a média de referência. Os valores que você inserir devem estar dentro dos limites de equivalência. As diferenças (ou razões) que estiverem perto de um limite de equivalência exigem tamanhos amostrais maiores para alcançar o poder adequado.

    • Valores de poder: Insira um ou mais valores para especificar a probabilidade de que o teste de equivalência mostre quando a diferença população (ou razão) se encontra dentro dos limites de equivalência. Os valores comuns são 0,8 e 0,9. Por exemplo, um analista insere 0,9 para indicar uma probabilidade de 90% que o teste irá demonstrar a equivalência entre a média do tratamento de teste e a média do tratamento de referência quando as médias, na verdade, são equivalentes.
  5. Em , Insira um dos seguintes:
    • Desvio padrão dentro dos indivíduos: Se você estiver realizando um teste de diferenças, insira uma estimativa para o desvio padrão de respostas múltiplas do mesmo participante. Você pode usar o desvio padrão intra-sujeito de um teste de equivalência relevante para desenho cruzado 2x2. Se você não tem dados, baseie sua estimativa em pesquisas relacionadas, especificações de experimento, estudos-piloto, conhecimento do assunto ou informações semelhantes.
    • Coeficiente de variação (CV) do assunto: Se você estiver executando um teste de razão por transformação logarítmica, insira uma estimativa para o coeficiente de variação de respostas múltiplas do mesmo participante. O coeficiente de variação é igual ao desvio padrão dividido pela média. Se você já coletou e analisou os dados, pode usar o desvio padrão e a média das respostas para cada participante a partir dos dados da amostra. Se você não tem dados, baseie sua estimativa em pesquisas relacionadas, especificações de experimento, estudos-piloto, conhecimento do assunto ou informações semelhantes.
Ao usar esse site, você concorda com a utilização de cookies para análises e conteúdo personalizado.  Leia nossa política