O que é um gráfico de ensaios?

Um gráfico de ensaios representa os dados do seu processo ao longo do tempo. Use um gráfico de ensaios para procurar evidência de variação de causa especial em seu processo.

Exemplo de um gráfico de ensaios

Um engenheiro de manufatura quer avaliar o processo de produção para um novo produto feito de plástico. O engenheiro coleta amostras de 5 produtos a cada hora por 20 horas para testar a força do plástico e cria este gráfico de ensaios.

Com exceção de uma observação, os pontos variam aleatoriamente em torno da linha central (mediana). Os valores de p aproximados para agrupamento, misturas, tendências e oscilações são maiores do que o nível de significância de 0,05. Portanto, não há nenhuma indicação de variação de causa especial ou não-aleatoriedade.

O que significam os pontos e a linha central em um gráfico de ensaios?

Um gráfico de ensaios representa graficamente as observações individuais na ordem em que elas foram coletadas. Os pontos em cinza representam os valores individuais. Os pontos azuis representam as médias de subgrupo ou as medianas de subgrupo.

A linha central horizontal é traçada dependendo de qual opção você escolher na caixa de diálogo Gráfico de Ensaios. (Para abrir a caixa de diálogo Gráfico de Ensaios, selecione Estat > Ferramentas da Qualidade > Gráficos de Ensaios.) Se você selecionar:
  • Médias do subgrupo do gráfico a linha central é a mediana de todas as médias de subgrupo e os pontos azuis no gráfico são as médias de subgrupo.
  • Medianas do subgrupo do gráfico a linha central é a mediana de todas as medianas de subgrupo e os pontos azuis no gráfico são as medianas de subgrupo.
Observação

Se o tamanho do subgrupo = 1, a linha central é a mediana de todos os dados, independentemente da opção que você selecionou para os pontos no gráfico.

Mesmo com dados assimétricos, a mediana das médias do subgrupo é normalmente mais próxima da mediana das medianas do subgrupo. O eixo y tem uma amplitude maior porque os dados brutos também estão no gráfico, portanto, a diferença é normalmente não perceptível.

Os gráficos de ensaios ajudam a detectar a variação de causa especial

A variação ocorre em todos os processos. A variação de causa comum é uma parte natural do processo. A variação de causa especial é proveniente de fora do sistema e provoca padrões, deslocamentos ou tendências reconhecíveis nos dados. O gráfico de ensaios demonstra graficamente se as causas especiais estão afetando seu processo.

Os gráficos de ensaios também fornecem testes para aleatoriedade que oferecem informações sobre a variação não aleatória devido a tendências, oscilações, misturas e agrupamentos em seus dados. Esses padrões indicam que a variação observada deve-se a variação de causa especial.

Padrões não-aleatórios que um gráfico de ensaios pode identificar

Existem quatro padrões básicos de não-aleatoriedade que um gráfico de ensaios irá detectar.

Padrões de mistura

A mistura é caracterizada pela passagem frequente da linha central. As misturas frequentemente indicam dados combinados de duas populações ou dois processos operando em níveis diferentes. Se o valor de p para as misturas for menor que 0,05, você poderá ter misturas em seus dados.

Se o valor de p para as misturas for menor que 0,05, você poderá ter misturas em seus dados. Neste gráfico, a mistura pode indicar que os dados são provenientes de diferentes processos.

Padrões de agrupamento

Os agrupamentos podem indicar variação devido a causas especiais, como problemas de medição, lote a lote ou variabilidade de configuração, ou amostragem de um grupo de peças defeituosas. Os agrupamentos são grupos de pontos em uma área do gráfico.

Se o valor de p para o agrupamento for inferior a 0,05, você pode ter agrupamentos em seus dados. Neste caso, os dados circulados podem representar agrupamentos de dados.

Padrões de oscilação

A oscilação ocorre quando os dados flutuam para cima e para baixo, indicando que o processo não é constante.

Se o valor-p para a oscilação for inferior a 0,05, você pode ter oscilação em seus dados. Neste caso, os dados circulados parecem variar para cima e para baixo com frequência.

Padrões de tendência

Uma tendência é um desvio sustentado nos dados, para cima ou para baixo. As tendências podem avisar que um processo tende a sair ou sairá em breve de controle, e pode ser devido a fatores tais como ferramentas desgastadas, uma máquina que não mantém uma configuração ou rotação periódica dos operadores.

Se o valor-p para tendências for menor do que 0,05, você pode ter uma tendência nos seus dados. Neste caso, a tendência para cima está circundada e é facilmente visível.

Ao usar esse site, você concorda com a utilização de cookies para análises e conteúdo personalizado.  Leia nossa política