Exemplo de um Gráfico de Pareto ponderado

Um inspetor de um fabricante de roupas investiga as origens de defeitos em roupas para priorizar projetos de aprimoramento. O inspetor rastreia o número e o tipo de defeitos no processo.

Um engenheiro cria um gráfico de Pareto ponderado de priorizar as fontes que o inspetor encontrou com base no custo total, e não na frequência, dos defeitos. Um gráfico de Pareto ponderado pode não apontar para os mesmos erros ou problemas que um gráfico de Pareto com base em frequência. Para obter mais informações sobre gráficos de Pareto ponderados, acesse Fundamentos do gráfico de Pareto.

  1. Abra os dados amostrais, DefeitoDeRoupas.MTW.
  2. Selecione Estat > Ferramentas da Qualidade > Gráfico de Pareto.
  3. Em Defeituosos dados de atributo em, insira Defeito.
  4. Em Frequências em, insira Contagem*Custo.
  5. Selecione Combinar defeitos restantes em uma única categoria após este percentual e insira 95.
  6. Clique em OK.

Interpretar os resultados

Neste exemplo, o gráfico de Pareto ponderado utiliza os mesmos dados para vestuário que em Exemplo de Gráfico de Pareto, exceto que os defeitos são ponderadas pelo seu custo. Para calcular os valores ponderados, o custo de cada tipo de defeito é multiplicado pelo número de defeitos para esse tipo.

O gráfico de Pareto ponderado mostra que erros de costura, que respondem por 23,3% do número total de defeitos no gráfico de Pareto não ponderado, respondem por 30,5% dos custos totais de defeitos. Botões faltando, que respondem por 45,2% dos defeitos no gráfico de Pareto não ponderado, são responsáveis por apenas 5,3% dos custos totais de defeitos. No entanto, os erros de bainha, que representam por apenas 9% dos defeitos no gráfico de Pareto não ponderado, são o segundo defeito mais dispendioso.

Ao usar esse site, você concorda com a utilização de cookies para análises e conteúdo personalizado.  Leia nossa política