Todas as estatísticas e gráficos para Carta P' de Laney

Encontre definições e orientações interpretação para cada estatística e gráfico fornecido com a carta P' de Laney.

Pontos representados graficamente

Cada ponto na carta P' de Laney representa a proporção de itens ou unidades defeituosas para um subgrupo.

Interpretação

Se o processo estiver sob controle, os pontos variam aleatoriamente em torno da linha central, e o processo exibe apenas as variações de causa comum. Investigue os pontos que estão fora dos limites de controle ou que apresentam padrões não aleatórios quanto a uma possível variação de causa especial.

Linha central

A linha central em uma carta P' de Laney representa a proporção média de unidades defeituosas para o processo. A proporção média de unidades defeituosas também é chamada de proporção de processo.

Interpretação

Utilize a linha central para observar como é o desempenho do processo em relação à média. Se o processo estiver sob controle, os pontos variam aleatoriamente em torno da linha central.

Cautela

Não confunda a linha central com o valor alvo para o seu processo. O alvo é o resultado desejado. A linha central é o resultado real.

Limites de controle

Os limites de controle são as linhas horizontais que estão acima e abaixo da linha central. Os limites de controle indicam se um processo está fora de controle, e eles são baseados na variação observada dentro dos subgrupos e na variação esperada nos pontos traçados. Por padrão, o Minitab exibe os limites de controle em 3 desvios padrão acima e abaixo da linha central.
Cautela

Não confunda limites de controle com limites de especificação. Limites de especificação representam os requisitos do cliente e indicam a quantidade de variação que você quer ver no processo. Os limites de controle representam a quantidade real de variação que está nos dados da amostra. Um processo pode estar sob controle, mas não ser capaz de atender especificações.

Sigma Z

Sigma Z mede sobre ou subdispersão em seus dados.

Interpretação

O valor de Sigma Z em uma carta P' de Laney indica o quanto os limites de controle da carta são ajustados para sobre ou subdispersão.
  • Um valor de Sigma Z de 1 indica que nenhum ajuste é necessário. Neste caso, os limites de controle na carta P' de Laney são exatamente iguais aos limites de controle de uma carta P tradicional.
  • O valor de Sigma Z maior do que 1 indica que os limites de controle na carta P' de Laney são mais amplos do que aqueles em uma carta P tradicional para o ajuste para sobredispersão.
  • O valor de Sigma Z menor do que 1 indica que os limites de controle na carta P' de Laney são mais estreitos do que aqueles em uma carta P tradicional para o ajuste para subdispersão.

Por exemplo, os gráficos a seguir mostram uma carta P tradicional e uma carta P' de Laney dos mesmos dados. Os subgrupos são grandes e seus dados exibem sobredispersão.

Carta P tradicional
Na carta P tradicional, os tamanhos de subgrupos grandes resultam em limites de controle estreitos. Os limites de controle estreitos e a sobredispersão fazem com que vários subgrupos pareçam fora de controle.
Carta P' de Laney
Os limites de controle na carta P' de Laney são ajustados para sobredispersão. A carta P' de Laney mostra que o processo está realmente sob controle. Nenhum ponto está fora dos limites de controle.

Testes para causas especiais

Os testes para causas especiais avaliam se os pontos representados são distribuídos aleatoriamente dentro dos limites de controle.

Interpretação

Use os testes para causas especiais para determinar quais observações você pode precisar investigar e identificar padrões e tendências específicas em seus dados. Cada um dos testes para causas especiais detecta um padrão ou tendência específico em seus dados, o que revela um aspecto diferente da instabilidade do processo. Por exemplo, o Teste 1 detecta um único ponto fora de controle. O Teste 2 detecta uma possível mudança no processo.

Quatro testes estão disponíveis com esta carta de controle.

Teste 1: um ponto a mais do que 3σ da linha central
, o Test 1 identifica subgrupos que são atípicos se comparados a outros subgrupos. O teste 1 é reconhecido universalmente como necessário para a detecção de situações fora de controle. Se pequenas mudanças no processo forem de interesse, você pode usar o Teste 2 para suplementar o Teste 1, a fim de criar uma carta de controle que tenha maior sensibilidade.
Teste 2: nove pontos em uma linha no mesmo lado da linha central
O Teste 2 identifica mudanças na proporção dos defeituosos do processo. Se pequenas mudanças no processo forem de interesse, você pode usar o Teste 2 para suplementar o Teste 1, a fim de criar uma carta de controle que tenha maior sensibilidade.
Teste 3: seis pontos em uma linha, todos crescentes ou todos decrescentes
O Teste 3 detecta tendências. Este teste procura uma longa série de pontos consecutivos que aumentam consistentemente em valor ou que diminuem em valor.
Teste 4: quatorze pontos em uma linha, alternando para cima e para baixo
O Teste 4 detecta a variação sistemática. Você deseja que o padrão de variação em um processo seja aleatório, mas um ponto que falha no Teste 4 pode indicar que o padrão de variação é previsível.

Estágios

Use estágios para criar uma carta de controle histórico, que mostra como um processo muda durante períodos específicos de tempo. Por padrão, o Minitab recalcula a linha central e os limites de controle de cada estágio. Para obter mais informações, acesse Adicionar estágios para exibir mudanças no processo.

Interpretação

Esta carta de controle histórico mostra três estágios de um processo, que representa antes, durante e depois da implementação de um novo procedimento.

Ao usar esse site, você concorda com a utilização de cookies para análises e conteúdo personalizado.  Leia nossa política