Exemplo de Análise de capacidade de Poisson

Uma engenheira de qualidade quer avaliar o processo de isolamento de fio. O engenheiro seleciona aleatoriamente os comprimentos de fios elétricos e testa esses fios quanto a pontos fracos no isolamento submetendo-os a uma tensão de teste. Ele registra o número de pontos fracos (defeitos) e o comprimento de cada fio em metros.

O engenheiro realiza a análise de capacidade de Poisson para avaliar se o processo de isolamento do fio atende bem aos requisitos.

  1. Abra os dados amostrais, DefeitosDoFio.MTW.
  2. Selecione Estat > Ferramentas da Qualidade > Análise de Capacidade > Poisson.
  3. Em Defeitos, insira Pontos Fracos.
  4. Em Tamanho amostral, selecione Usar tamanhos em e insira Comprimento.
  5. Clique em OK.

Interpretar os resultados

O Gráfico de taxa de defeitos indica que os defeitos por unidade de medida diminuem um pouco conforme o tamanho da amostra aumenta. A carta U indica que o processo é estável com exceção de um ponto fora de controle. O engenheiro pode precisar para investigar o efeito do tamanho da amostra e a instabilidade do processo para garantir que as premissas para análise de capacidade estão satisfeitas.

A carta de defeitos por unidade (DPU) acumulados indica que o DPU está relativamente estável. O DPU médio estimado é 0,0265. Portanto, um defeito (ponto fraco) no fio ocorre, em média, uma vez a cada 37,7 (1/0,0265) metros. O intervalo de confiança (IC) para DPU indica que o engenheiro pode ter 95% de confiança de que o DPU médio está contido dentro do intervalo de 0,0237 e 0,0295. O engenheiro considerar como o aprimoramento do processo poderia reduzir ainda mais o DPU.

Ao usar esse site, você concorda com a utilização de cookies para análises e conteúdo personalizado.  Leia nossa política